sábado, 13 de dezembro de 2008

O texto que deu origem ao endereço do blog

Decifra-me...

Decifra-me como os astrônomos decifram o céu: cada detalhe, cada estrela, o infinito.
Decifra-me como os historiadores: que procuram, observam cada detalhe, cada escrito, cada palavra.
Descubra-me como uma mão ao toque de um violão.Como a voz que encontra o timbre.
Decifra-me como o mar, e busque no fundo, surpresas e raridades.
Descobre a inocência pervertida.
Decifra a coragem doce digna de Ártemis.
Descobre-me como o pôr-do-sol: é sempre o mesmo astro, mas suas cores são diferentes, todos os dias.
Decifra-me como um rio, que segue o mesmo curso, mas as águas nunca são as mesmas.

Decifra-me se quiser!
Decifra-me se conseguir!


Tira de mim segredo e confissões, tira de mim detalhes que ninguém nunca observou, seja o único a me conhecer.
Decifra meus medos e meus venenos... Anseios e meu futuro.

Prevê quem eu posso ser,
descubra quem eu fui,
e se realize com quem eu sou.


Decifra meu sorriso. Se atire nos meus olhos e se delicie em meus lábios...
Decifra minha pele, cada canto, cada toque, cada arrepio.
Descobre-me como um homem. Descubra uma mulher que se esconde.
Decifra a menina por trás do sorriso. Decifra a mulher debaixo da roupa.
Decifra meus desejos, meu íntimo, minhas loucuras....
Descobre do que eu sou capaz. E do que nunca farei.
Descobre quem sempre te esperou, quem sempre te guardou.
Decifra o amor que carrego no meu peito.
Descubra que foi isso que você sempre quis e que está ao seu alcance.
Surpreenda-se por nunca ter percebido e ter perdido tanto tempo.
Decifra esse amor antes que ele escape como uma folha ao vento.
Descobre o que você perdeu.

Decifra o que é dito entre o meu coração e o seu.

Um comentário:

Ana Carolina disse...

muito criativo o seu texto Cíntia!
ficou muito bom mesmo, Parabéns! ;)

beijão.